Main Menu

Novidades

 

Curso de Leitura e Autoconhecimento pelo Tarot

 

Inscrições abertas nova turma

JANEIRO/2018

 

PRÉ INSCRIÇÃO

POUQUISSIMAS

VAGAS

 

Horário: das 18:30 as 20:30
uma vez por semana

(sextas feiras)
duração: 24 semanas

 

----------------

Curso de Automaquiagem

 

Inscrições abertas nova turma 

 

 


  Tarde:       das 14 às 18h
(quatro horas de aula)

--------------------------------

 

Curso Livre  de Massagem Ayurveda

(Abhyanga e Shirodhara)

 

 

Inscrições abertas nova turma

 

JANEIRO/2018


Horário: das 19:00 as 22:00h

Terças feiras 

duração: 30 horas

 

 

 

----------------

 

   

 

 



 

 
 
 

 

Alzheimer - Fatores dietéticos - 
Estudos sugerem que a alta ingestão de vitaminas C, E, B6, B12, folato e de ácidos graxos insaturados associam-se ao baixo risco de desenvolver a DA. Clique aqui

Alzheimer - Plantas com Atividade Anticolinesterase para tratamento da Doença de Alzheimer.
Este estudo sugere extratos de certas plantas (Imbaúba, Capixinguí,alecrim-pimenta, guaraná, breu branco, jurubeba) poderiam inibir a atividade da enzima acetilcolinesterase. Clique aqui


Alzheimer - Alto consumo de alumínio de água potável pode ser um fator de risco para a doença de Alzheimer.

Estudo realizado em 2008 comprovando que a ingestão de valores = 0,1mg/dia de alumínio (considerado alta dose) leva a diminuição cognitiva.
Comentário: No Brasil temos a legislação federal: Portaria nº 2914, de 12 de dezembro de 2011 - que estabelece procedimentos e responsabilidades relativos ao controle e vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade.TODAS as Estações de Tratamento de cada cidade deste país são OBRIGADAS a distribuir sua água dentro dos valores descritos nessa Portaria. Peça esses valores ao SAAE ou DAE (ou à Operadora Responsável pela distribuição) de sua cidade. Clique aqui

Alzheimer-Plantas da Medicina Tradicional Chinesa contra neurodegeneração em Alzheimer e demência vascular.
Estudos sobre plantas usadas na recuperação ou manutenção dos nervos tais como Belladona, Ginko biloba, Goji e um composto feito da mistura de algumas ervas chinesas.Clique aqui.

Cogumelos - Artigo em jornal:
Importância dos cogumelos na alimentação. 
Clique aqui.

Consumo de carne - Risco de câncer: Um estudo na Itália.
O consumo de carne sempre foi positivamente associado com o risco de câncer do trato digestivo em vários estudos epidemiológicos. Este estudo investigativo mostra que o alto consumo de carne vermelha é um fator importante na etiologia nutricional de câncer humano. Clique aqui.

Consumo de Carne - Risco de adenomas colorretais
Este estudo avalia 03 grupos dietéticos, avaliando a associação entre padrões alimentares e adenomas colorretais. O grupo 1: grupo de baixo consumo de carne e alto consumo de frutas; o grupo 2: grupo de moderado consumo de carne e alto de vegetais, e o grupo 3: grupo de alto consumo de carne. Uma dieta de alto consumo de frutas e baixo teor de carnes (grupo 1) mostrou ser protetora contra adenomas colorretais em comparação aos outros dois grupos dietéticos (grupos 2 e 3).
Clique aqui.

Consumo de carne - Aumento de peso sistêmico. A ingestão de carnes está relacionada com o ganho de peso em homens e mulheres, fumantes e não fumantes. Este estudo relaciona a diminuição do consumo de carne (carne vermelha, aves e carne processada) com a melhoria do peso corpóreo.Clique aqui.

Consumo de carne - Risco de câncer de bexiga. Nitrosaminas, conhecidos carcinogênicos da bexiga, encontram-se em alimentos à base de carne, e as concentrações de certos destes compostos, são particularmente elevados em bacon. Este estudo mostra que consumo freqüente de bacon foi associado com um elevado risco de câncer de bexiga. Clique aqui.

Consumo de carne - Carne processada aumenta risco de mortalidade por doenças cardiovasculares e câncer. Pesquisadores observaram que os indivíduos com alto consumo de carne vermelha (160g/dia) apresentaram maior mortalidade (14%), em comparação com aqueles que tinham baixo consumo desse alimento, e essa associação foi mais forte para o consumo de carne processada (44%). Clique aqui.

Consumo de carne - Carnes e peixes processados aumentam risco de Câncer de Próstata. 
Carne e peixe processados estão associados ao risco de câncer da próstata em diversos estudos. Este estudo mostra que homens com alto risco de prognóstico e alta ingestão de aves apresentaram um risco quatro vezes maior de recorrência ou progressão da doença quando comparado com homens com baixo/médio risco de prognóstico e baixa ingestão de aves. Clique aqui


Consumo de carne - Carne vermelha processada está relacionada a Câncer de Pulmão. 
O consumo de carne vermelha e processada pode desempenhar um papel na patogênese do câncer de pulmão por causa da gordura dessas carnes e de seu conteúdo cancerígeno.
Observou-se uma associação entre o consumo de carne e o carcinoma do pulmão, o que pode ser explicado pela ingestão de ferro heme, cozimento de alta temperatura, e mutagênicos associados. Clique aqui.

 

Consumo de carne - Carne vermelha relacionada com Câncer do Cólon.
O consumo de carne, principalmente de carne vermelha e processadas, é um dos fatores dietéticos mais bem estudados em relação ao câncer de cólon. Este estudo sugere que os agentes mutagênicos formados quando a carne é cozida podem ser as substâncias culpadas do risco de câncer retal. Clique aqui

Consumo de carne - Carne vermelha associada com Câncer de Pâncreas.

Este estudo mostra que o consumo de carne processada está positivamente associada com o risco de câncer de pâncreas. Consumo de carne vermelha foi associado com um risco maior de câncer de pâncreas em homens.Clique aqui.

Consumo de carne - Carne vermelha processada está relacionada a Câncer de Ovários.

Estudo mostra que mulheres com o maior consumo de carnes processadas tiveram um risco significativamente aumentado de câncer de ovário em dois estudos de caso-controle e de metanálise. Clique aqui.


Consumo de carnes – Carne vermelha associada a degeneração macular.
A degeneração macular relacionada à idade é a principal causa de cegueira entre os idosos. Este estudo mostra que o maior consumo de carne vermelha fresca ou processada está associado a precocidade desta doença. Clique aqui.


Consumo de carnes – Carne vermelha associada a Síndrome Metabólica.
Embora o consumo de carne vermelha tem sido relacionado com a prevalência de diabetes, poucos dados mostram a relação entre o consumo de carne vermelha, inflamação e síndrome metabólica. Esse estudo mostra que o aumento do consumo de carne vermelha é transversalmente associado com maior risco de síndrome metabólica e inflamação. Clique aqui.

 

Consumo de carnes – Dieta SEM carnes é sustentável.
Este estudo mostra que o sistema de alimentação à base de carnes exige mais recursos de energia, terra e água do que uma dieta ovo-lacto-vegetariana. Neste sentido restrito, a dieta ovo-lacto-vegetariana é mais sustentável ao planeta, do que a dieta baseada no consumo de carnes.Clique aqui.










Cadastro